Meu momento

quinta-feira, 13 de novembro de 2008

Sei que cada uma possui uma preocupação com cada palavra de desabafo que escrevo.
Quero agradecê-las de coração.
Mas digo também que não precisam se preocupar tanto.
Realmente fiquei muito decepcionada comigo mesma com a perda da promoção. E mais, pra uma área que eu tenho 8 anos de experiência, do setor que eu ajudei a implantar os processos e perder para uma pessoa que eu treinei, ajudei e que todos sabem que possui certa limitação técnica, menos o "Zé Ruela" que decide e que chegou por aqui não tem nem 30 dias.
Dá uma sensação de 5 anos de dedicação foram para o ralo.
Por um lado é bom que nos faz refletir sobre "zilhões" de atitudes que podem ser mudadas, e outras tantas que nem devo levar em consideração.
Estava tão certa essa promoção que a impressão que tenho é que foi tirada das minhas mãos.
E o pior é ter que ouvir de colegas de trabalho, fazendo burburinho: "Perdendo pra 'Fulana' vai ganhar de quem então??" (Essa é a parte que não levo em consideração).
Gente... As pessoas são muito cruéis... afffff
Essa promoção era o que eu esperava que acontecesse depois de tanta pedra que carreguei. Mas aí está o problema: Eu esperei. Pouco agi porque na situação que estava, por estar tão certa, não tinha o que fazer. Era só aguardar. Sabe o famoso "Lobby" ou "Marketing Pessoal"? Pois é... Foi o que faltou em mim.
Uma vez, em uma conversa informal, meu ex-Gerente me disse o seguinte: "Flávia, sabe porque você ainda não foi promovida? Porque você possui um luz própria muito forte e que acaba ofuscando as pessoas ao seu redor, gerando inveja e hostilidade. Diminua um pouco a intensidade dessa luz que pode ir longe."
Ainda não sei se isso era um elogio ou uma crítica (aliás, qualquer dia desses vou perguntar a ele...rs), mas sempre foi assim que me senti nos meus empregos. Não sei se é porque sempre tive muita facilidade de aprender, sou incapaz de dizer "não", gosto de ajudar todas as áreas, que acredito que as pessoas me olham como se quisesse aparecer, e o que na verdade, só quero cooperar.
Aliás, sou auto-didata em inúmeras coisas. Me lembro uma vez que participei de um processo para ser Estagiária (função que é a larva do mosquito do c*** do cavalo da sogra do bandido manco) de uma Multinacional do ramo de bebidas. Era tudo o que eu queria. No final do processo, o Gerente da época me fez uma única pergunta: "Sabe Excel??"
Isso foi há 8 anos atrás e eu não tinha noção nem do que era essa palavra. Mas sabe o que respondi?? "Tenho domínio dessa Ferramenta". É... Virou questão de honra pra mim.
Pensei: Agora não tem jeito. Vou ter que aprender.
Acham que fiz algum tipo de curso?? Que nada... Mandava as planilhas pra casa e passava horas em cima de livros, tentando absorver cada fórmula e cada lógica daquilo.
Resultado disso?? Fui contratada em 6 meses, e hoje, aqui na minha atual empresa, quando querem uma planilha específica sempre recorrem a mim. Mérito meu!! Ponto pra mim.
Até mesmo porque eu trabalho para a empresa, não trabalho para determinada pessoa que "no momento" está ocupando uma função gerencial.
Fiquei chateada sim, vou passar por mais esse processo de luto profissional agora, mas consegui dizer pra todos que me limitavam, pra quê estou aqui. Porque eu nunca me limitei e não será um "Zé Ruela" que saiu lá da PQP e chegou não tem nem 30 dias que vai fazer isso na minha vida.
Ufaaa... desabafei!!!

P.S.: Desculpa todos os palavrões, mas faz parte do processo de desabafo, CARA***, PQP, VTNC, FDP. Pronto, já estou me sentindo bem melhor...rsrsrs

3 Cométários que me fizeram feliz!:

RoCosta disse...

Flávia mais que merda neh?!! Aposto com voce que voce perdeu por ser mulher... que ódio!

Forte abraço.

Flávia disse...

Roberta
Bem que eu queria ter essa justificativa, mas eu perdi para outra mulher e sabe porque? Só porque ela já estava na área (que eu implantei e conhecia como a palma da minha mão), enquanto eu (que já havia passado por lá) estava em outra área executando outra atividade e não teve como o "Zé Ruela" fazer nenhum tipo de comparação.
É mole??
E o pior foi ouvir que o "Zé Ruela" nem cogitou o meu nome para a função.(rá... essa foi de doer)
Agora vem a melhor parte: ainda queriam que eu substituissem a "Fulana" durante o período de férias dela agora em Dezembro.
Nem a pau Juvenal!!!!! Podem procurar outra "Tapa Buraco com sobrenome de Otária" para substituí-la. Afinal, se não fui competente o suficiente pra assumir a função, também não serei para cobrir o seu período de férias. Foi meu primeiro "Não" profissional. Doeu, mas foi necessário.
Mas tô seguindo minha vida e sendo profissional como sempre fui.

RoCosta disse...

Sabe que aconteceu algo parecido comigo... também disse necas de pitibiras...
O negócio é seguir em frente.
Forte abraço, Flávia.

 
Iniciando Ciclos. Design by Exotic Mommie. Illustraion By DaPino