Meu momento

sábado, 23 de agosto de 2008

Observar, escutar e falar

Na minha última postagem, recebi muitos apoios, dos quais podem ter certeza, estão me fazendo sorrir, caminhar e viver um dia após o outro.

Porém, recebi algumas críticas também.

Isso me remete a uma música muito conhecida de Oswaldo Montenegro, chamada Metade que diz:
Que as palavras que eu falo
Não sejam ouvidas como prece e nem repetidas com fervor
Apenas respeitadas
Como a única coisa que resta a um homem inundado de sentimentos
Porque metade de mim é o que ouço
Mas a outra metade é o que calo.

Se analisarem bem, "metade de mim é o que ouço, mas a outra metade é o que calo", está querendo dizer: ouça mais, fale menos. Sendo mais direta ainda, Deus lhe deu dois olhos para observar mais, dois ouvidos para ouvir mais e uma boca pra falar menos.

Estamos aqui pra compartilhar nossas alegrias, medos, anseios, culturas e principalmente, respeito.

A base para uma sociedade civilizada é o respeito. Respeita-se religião, crença, credos, angústias e tantas outras coisas. Se não tem algo agradável para falar pra alguém, então se cale. Pra você pode não ter o menor fundamento, mas pode ser tudo que a outra parte tem.

Entro em tantos blogs por dias que até perco a conta. Quantas pessoas vejo falando barbaridades com tamanha propriedade, tendo certeza de que é um deus da cultura e um doutor em comportamento humano, mas nem por isso, deixo recados menosprezando sua escrita. Se acho interessante, faço questão de elogiar, mas caso contrário, apenas fecho, logo me desinteresso e procuro algo mais agradável de ler.

É triste ver as pessoas depreciando os sentimentos alheios. Se as pessoas se amassem mais, não só o biotipo ou o moderninho da vez, mas amassem o coração, talvez aprendesse a ver que, por trás de uma reação austera de menosprezo, há uma pessoa mal-amada e amargurada esperando alguém lhe estender a mão e lhe abrir um sorriso.

Apesar de toda dor que sinto, tenho sempre comigo um sorriso estampado no rosto. E sou feliz sim, não duvidem disso.

Infelizmente, meu momento é este, mas é passageiro. Pode passar hoje, como pode passar daqui alguns meses, mas vai passar. Ou então, se não quer compartilhar comigo desse meu momento, que passe então você ao próximo blog, obrigada pela visita, pena que não deu tempo nem para o cafezinho e até a próxima...

Se não tiver algo agradável pra dizer, engula esse sapo e vá embora. Não precisa dizer o quanto esse sapo é amargo e nem que gosto tem. E quer saber?

13 Cométários que me fizeram feliz!:

Tania Pimenta disse...

Flavinha, é isto mesmo! Quem não gosta ou não concorda com vc (ou com qualquer outro blogueiro) simplesmente não escreva nada e não volte mais naquele blog!!!
Educação e respeito são indispensáveis!!!
Gentileza é tudo!!!
Beijins

carolbiasucci disse...

Vivemos numa democracia.. se nao gosta dos seus posts, que se foda mesmo. e desapareça.. somos livres, nao é mesmo!!

ESCREVA SEMPRE, Flavinha!!!

Nina disse...

Oi querida flavinha!

de volta e já curiosa pra saber como andam minhas queridas. vi que vc andou tendo alguns momentos de desassossego. relaxa mesmo viu?!

sobre os posts passados, alguém escreveu meio duro, nao foi? mas pelo que vi, tbm vc segurou a barra numa boa. é isso ai garota. vc sabe que precisa sentir suas dores, porque elas pertencem a vc, e a mais ninguém, e vai ter certamente o momento em que vc vai ver que o tempo cicatrizou a dor.
tudo o que precisa ser vivido, vc está vivendo, e isso é o mais importante agora.

mas nao esqueca de manter a cabeca erguida e olhar sempre pra frente, tentando de leve, se afastar de algumas cenas do passado. aprender a se amar, é o que importa de fato.

bjs pra ti, no coracao.

SGi/Sonia disse...

Ai Flavinha...

Falar é fácil né?
Criticar então nem fale.
Aperto o botão com você.

Tem selinho novinho pra você no meu bloguinho:)

Beijins

Flavinha disse...

Meninas
Onde já se viu?
Por acaso eu entro na casa de uma pessoa pela primeira vez, não a conheço, e já vou falando que a casa é suja, feia, desarrumada... E ainda saio de lá me considerando a sua melhor amiga? Me poupem, né?

Agora, não quero pena e nem piedade de ninguém. Mas já não tenho um lugar físico onde eu possa chorar minhas dores, nem aqui, que é o meu espaço virtual, porque vem uma pessoa de "não sei de onde" me criticar?

E ainda dizem que são verdades. Porém, a linha que divide a verdade (sinceridade) da falta de educação é tênue, não acham?

Bjs a todas

A vida para além de ti! disse...

Sabe, a falta de consideração e civismo é horrivel num ser humano.
As pessoas simplesmente nao entendem que mesmo sendo errado para elas nos sofremos, choramos e apenas queremos deitar para forma o que nso vai na alma. Será que não temos esse direito.
Eu não ligo a quem ri de mim, nem dou importancia a quem mal de mim fala. Minha mae dizia, na vida á dois tipos de pessoas, as que contam e as que não contam para nada. Continue a fazer o que o seu coração lhe pedir. Pois só assim será feiz!

Biana França disse...

olá, eu aqui de novo invadindo...
Parabéns, concordo com vc, afinal, todos temos nossos momentos, e aqui é um espaço para isso não é mesmo?
Curto muito o seu blog
Bjus.

Marsyah disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Marsyah disse...

Olá Flavinha!

Depois de dias tratando da princesa, enfim tenho um tempinho a mais pra visitar as amigas.

Li os posts e comentarios anteriores e não vou alimentar mais confusão, mas achei um texto bem bacana aqui.

Vou colocá-lo aqui, por que eu acho que ele serve tanto para você quanto para os seus novos visitantes e creio eu, não vai ofender ninguém:

"Em minhas mãos

Tenho, em minhas mãos, dois caminhos, duas decisões, mesmo quando tudo parece desabar.

Cabe a mim decidir, entre rir ou chorar, entre ir ou ficar, entre desistir ou lutar

Se o mar está revolto, posso ficar na praia ou sair para pescar
e, talvez, nunca mais voltar

Tenho, em minhas mãos, o bem e o mal e entre eles poucos pensamentos.

Um diz para fazer sem culpa, o outro pensa, reflete e pede para esperar.

Enquanto o mundo se perde em erros, posso me manter sereno, sem medo por que tenho a chave da minha vida em minhas mãos.

Então, hoje, me sinto mais forte, pois atravessei os desertos da alma

Amei quem não me amou e deixei de lado quem muito me amava

Atravessei caminhos nem sempre floridos, que deixaram marcas profundas em mim.

Mas amei e fui amado por isso, tenho em minhas mãos bem mais que a vida.

Tenho a dúvida e a certeza, a esperança e o medo, o desejo e a apatia, o trabalho e a preguiça

E me dou o direito de errar sem me cobrar e acertar sem me gabar

Por que descobri no caminho incerto da vida, que o mais importante é o decidir e decidi, de uma vez por todas ser simplesmente feliz

E esse caminho não tem volta"

(autor desconhecido)

Bjux Flavinha!

(desculpe-me pelo comentário enorme)

Biana França disse...

Flavinha, tbm tõ te linkando no meu!
Bjus.

LiLi disse...

POxa isso é mto chato mesmo.
Blog é lugar de desabafo, sentimentos, emoções. Não gostou? fazer o que né?
Relaxa e viva a sua vida.
Adoro seu blog e suas postagens, liga não, o bem sempre é maior que o mal.

• Älone • disse...

Eu entendo vc, se colocarmos na balança somos felizes, mas a vida é tão complexa e o mundo dá tanta volta que nossa alegria varia de dia a dia !

Lu Olhosde Mar disse...

adorei este botao..... precisei dele hoje...rsssss

 
Iniciando Ciclos. Design by Exotic Mommie. Illustraion By DaPino